segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

La Piel que Habito



Peça a peça
Fundidos numa cumplicidade
Esboçamos murmúrios de promessa
Despidos numa viciante actividade
Isenta de qualquer tipo de pressa.

Amotinado por ti, Beldade
Nutro-me de uma vontade expressa
Ancorado no aconchego de tua sensualidade.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Refúgio


Majestosa,
Insinuas uma Alma deleitosa
Nutrida por uma fragrância de poesia
Harmonizada numa orla sedosa
A que recorro para me agasalhar nessa primazia.

Aninhado em ti, esvaeço qualquer semblante tristonho
Levitando na sumptuosidade de um sonho.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Néctar de uma Deusa



Desfloras para mim
Açoitada por um chicote de saliva
Irradiando uma tonalidade carmim
Por onde jorra a seiva digna de uma Diva.

Subjugado,
Esboço uma tangente sobre o teu fervor.
Será uma visão ou sonho acordado?
Embriago-me no gozo que provém de um Amor.

Amor, sentimento perene,
Escondes-te num silêncio solene…

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

The F Word



Literalmente. Lateralmente. Verticalmente. Horizontalmente. Kamasutralmente. Numa cadeira. Duas vezes. Por horas. De pé. Numa cama. Numa mesa. No duche. Forte. Com ímpeto. Em tesoura. Sob a Lua Cheia. No escuro. Numa floresta. Na praia. Na piscina. No mar. De janela aberta. Contra a parede. Durante o pequeno-almoço. No carro. No parque. À chuva. Oh… à chuva. Mais forte. Com mais ímpeto. Vem. Agora. E outra vez… e outra vez…

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

- Ela



Linda Donzela
Arrebatas-me dos grilhões da minha cela.
Usurpas de mim todos os vestígios de sequela
Resguardas o meu sorriso como uma sentinela
Agasalhando-me sob a tua vela.

Sinuosa, desces pela minha janela
Impeles uma apalpadela
Meneias um desejo que se revela
Outorga, protela
Em palavras como empinadela
Suadela, lambidela, chupadela…

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Creme de Pérolas



Um fio de pérolas escorre de ti
Emaranha-se em meus dedos
Emitido pela concha onde fluí
E enterrei todos os medos.

Beijado pela Luz
Reluz
Seduz
Induz

Fundo-me gloriosamente na efígie de uma exuberância
E rogo pela manutenção dessa constância repleta de substância.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

À flor da pele...



Solicitava por um vislumbre intimista
Omitido pela bruma decotada que te deificava.
Fervilhava num desejo irrealista
Instigado pela covinha de um sorriso que me deleitava
Ansiando pelo teu mimo que paulatinamente se afastava.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Finger Licking Treat




Teu corpo de delito
Escorre delícias que embevecem
E acossado pelo teu extasiante grito
Sinto-te dissolvida nestes dedos que enternecem.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

My Queen Escapes...



Desapareces…
Entre a folhagem da Floresta da Vida
Esvaeceste, apesar de minhas preces
Revolvendo a minha Alma subtraída.

Mas em mim não pereces
Pois só tu me entonteces!

Quem és?
Algum dia serás minha?
Eis-me a teus pés,
Minha Majestosa Rainha.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Senta... Intenta...



Existirás?
Olhar-me-ás?
Virás?

Senta o tempo num delírio que acomete na penumbra
Mãos de desejo folheiam as desavindas carnes pensantes
Os dedos incompletos buscam uma exalação que deslumbra
Cravados num rabo que cavalga em rédeas instigantes.

O frenesi hospeda-se no meu memorial de mulher
Que desliza humedecida e ocupa o meu centro
Remexe as minhas salas já desarrumadas como quer
E estremece-me em asfixias por seu mar adentro.

Será que me vês?
E tu, o que ouves quando me lês?

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

exCITAÇÕES



-          What sculpture?
-          I always wanted to make love to the Venus de Milo.
-          I can’t stop you... I’ve got no arms.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Hipnótico



Que visão extasiante! Ufana, assaltas o meu olhar num movimento giratório. Hipnotizado, retrocedo no tempo. É noite. Uma luz vermelha beija os nossos rostos. Duas palavras: Moulin Rouge. O Moinho de Pigalle! Estamos em Pigalle... Oh, as artérias de Pigalle… Relembro as travessuras que nos arrebataram por clubes de puro deleite. Quartos… Salas… Corredores… Olhares… Odores inebriantes de corpos em exaltação, de amantes dissolvidos em transgressora união...

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Sorriso Vertical


Clítoris abençoado
Moras acobertado
Num Jardim de dupla flor sublimado
Que ambiciono contemplar molhado.

Desço a teus lábios apetitosos
E sufoco com o meu beijar insaciável
Que estampa arrepios morosos
Que tornam essa coninha comunicável.

Adaptável
Imensurável
Agradável
Confortável
Formidável
Incontrolavelmente desejável!

Trilho com a língua serpenteante, todas as formas de amar
Onde a Fonte, o Fogo e o Mel se concentram.
Sinto em teu clítoris o calor, o seu molhar
Numa amálgama de palpitações que se adensam.

A intensidade aumenta, assim como o entusiasmo
O teu corpo arqueia, enquanto atinges o orgasmo
Até desabrochar em puro grito
Num instante que prova o infinito.

Eu penso
Se me encontro no chão
Ou estarei suspenso
Porque eu levito de paixão
No céu denso
Extenso.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Queda e Ascensão


Mordo essas asas com avidez
Privando-te das plumas que te adornam.
Assisto à Queda de um Anjo com intrepidez
E contemplo a ascensão de uma Deusa,
Saboreando os traços que a contornam.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Manhã de um novo Ano


Torturo-te intensamente
E com a língua vou-te tocando
A loucura toma conta do teu corpo
O teu gozo vou saboreando
Cada gota alimenta a minha sede
Teu desejo escorre à minha espera
Bebo na fonte desse prazer desmedido
Transformo essa menina em fera
Quero mais, queres mais
Minha língua, minha brasa
Brinco, tomo posse desse corpo
Recebo-te na luxúria da manhã
Vem sem demora... tudo em chama arde
Teu gozo alimenta meu tesão
Deixa-me impaciente
Querendo mais e mais o teu corpo
Vem... tomo-te de forma indecente
Eis-me aqui na tua cama
Tu exposta, aberta e em chamas
Entro, fico à vontade
Meu corpo pelo teu clama
E o gozo acontece
E  de prazer nos entontece
Não dá para parar neste momento
Pois meu tesão permanece
E como uma uva vou-te lambendo
Uma a uma, saboreando
Sentindo o doce na minha boca
E do teu gozo me lambuzando.