quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Anatomia de uma Excitação



Ele falava com Ela enquanto preparava as bebidas. A tensão instalava-se paulatinamente. Ele acrescentava pausas e inflexões para propagar o desejo que a invadia. Assim como na Arte Cinematográfica é a ocultação da bomba que se encontra na sala que adensa o sobressalto… Assim como na Arte Musical é tão importante onde não posicionar notas na pauta como onde as dispor... De forma idêntica, Ele sabia perfeitamente qual o desfecho para a protelação da impetuosidade… qual o desenlace para o desassossego que se instalou nas negações estratégicas que Ela recebia dEle. Não é apenas o Corpo Masculino que possui uma leitura clara. O bom Leitor sabe perfeitamente como o Corpo Feminino acaba sempre por trair a sua altivez bamboleada. A voz dEla titubeava. Ele sorria… e bastava um sorriso seu para que Ela sentisse a sua máscara de frustração desmoronar, pois apercebia-se claramente como se encontrava em areias movediças… e quanto mais se movimentasse na armadilha que Ele havia criado, mais se afundava. Todavia, Ela queria justamente isso… Soçobrar nEle. As pernas dEla resvalavam uma na outra, usando a sua pele onde desejava as mãos dEle. Mamilos empolavam sob o vestido decotado. As pupilas dilatavam. Um rubor ténue assomava na pele delicada do seu rosto. A sua carótida denunciava um pulsar acelerado. A sua postura era vigilante. O seu pé arqueava na tradução de uma busca por libertação que apenas intercederia por Ela com o toque dEle. Com o auxílio do seu dedo, Ele mexeu lentamente o gelo nas bebidas… Ela retesou, assimilando o movimento circular que Ele usava e aplicou-o mentalmente onde o desejava mais. Ele pegou finalmente nas bebidas e a única questão que pairava na sua mente era onde colocar primeiro o dedo gelado...

16 comentários:

  1. ui que bela escrita...muito bom como sempre

    ResponderEliminar
  2. Deliciosamente sensual. Puro erotismo. Desejo à flor da pele, num arrepio inexplicável. Muito bom ler-te. Sempre!

    ResponderEliminar
  3. Encantador, a tua escrita levou-me a viajar.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está uma influência que me deixa lisonjeado.
      Beijo

      Eliminar
  4. ou ...em que sitios....
    .............nada como um bom arrepio............de frio............
    bjo arrepiante

    ResponderEliminar
  5. Puro Desassossego...

    Gostei ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda! :)

      É tão bom sobrepujar a zona de conforto...

      Eliminar
  6. Sabes o que mais me encanta e sempre me surpreende nos teus textos Eros? É a forma brilhante como tu transformas um momento aparentemente vulgar num momento singular de erotismo e sedução. A relevância que incutes aos detalhes com a sua sensibilidade ousada....transformam o Simples em Belo!
    A mim.....encantas-me!

    Escolho um grande senhor para deixar a tocar como musica de fundo nessa sala. Perdi-o mais do que uma vez....mas este Verão não me escapa :-)
    Uma melodia cheia e requintada numa faixa que não é a melhor mas cuja letra se adequa tanto que não resisti a escolhe-la. Vamos imaginar que o álbum ficaria a rodar na integra....

    Rufus Wainwright-

    “You go to my head”

    "...
    You go to my head, and you linger like a haunting refrain
    And I find you spinning 'round in my brain
    Like the bubbles in a glass of champagne
    You go to my head, like a sip of sparkling burgundy brew

    And I find the very mention of you
    Like the kicker in a julep or two
    The thrill of the thought that you might give a thought to my plea,
    Casts a spell over me

    And I say to myself, "get ahold of yourself!"
    Can't you see that this never will be?
    You go to my head, (and I forgot the god-darn )

    You intoxicate my soul with your eyes
    Though I'm certain that this heart of mine
    Hasn't a ghost of a chance in this crazy romance
    You go to my head, you go to my head

    The thrill of the thought that you might give a thought to my plea,
    Casts a spell over me

    And I say to myself, "get ahold of yourself!"
    Can't you see that it never can be?
    You go to my head, with a smile that makes my temperature rise

    Like a summer with a thousand Julys
    You intoxicate my soul with your eyes
    Though I'm certain that this heart of mine
    Hasn't a ghost of a chance in this crazy romance
    You go to my head, you go to my head
    You go to my head"

    Que bebida estaria nós copos?

    Beijooooooos *Estrela*dos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A bebida que se encontrava nos copos era um Gimlet.
      Mas bem mais importantes eram as bebidas que se encontravam nos corpos.

      Beijo constelado :)

      Eliminar
    2. Quanto às bebidas dos corpos....sabes bem como me delíciam e a relevância que lhes atribuo.
      O Gimlet, presumo que o gelo estivesse bem triturado....com cubos não se poderia chamar um Gimlet :-) Aguçaste-me a curiosidade com esta tua imagem barmen...são ossos do ofício que me ficaram dos anos em fui barwoman.

      E o Rufus, não te merece nem uma palavra?

      Eliminar
    3. Já deverias saber que não sou Homem de convenções. O meu Gimlet é uma reinterpretação pessoal, que dispensa copos de Martini, bem como gelo triturado. Além de cubos de Gelo como novidade, até lhe adiciono um ingrediente secreto: Manjericão! :)

      Sobre o Rufus, lamento mas dispenso-o :)
      Nem o vi no Primavera Sound do ano transacto... pois até foi no dia dos inigualáveis Flaming Lips :)

      Beijo constelado BarWoman.

      Eliminar
  7. Bem....deixaste-me com vontade de provar esse Gimlet. Será que um dia me darás o privilégio de provar uma reinterpretação exclusiva das tuas?
    Eu gosto de reinterpretar mas é mais nos tachos....as bebidas, faco-as como são.

    Sem desprimor pela tua escolha porque os Flaming Lips são realmente fantásticos, ainda para mais ao vivo, surpreende-me que dispenses o Rufus. É um grande senhor dá música com o seu timbre inconfundível e com o seu genialismo enquanto compositor. Eu adoro-o. Já ouviste o "All days are Nights"? É um registo mais melancólico porque foi escrito após a morte da sua mãe mas tem tanto sentimento.....quase me parece impossível não gostares....

    Beijo auguado por um drink...da Tua *Estrela*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reconheço-lhe o talento. Inquestionável!
      Mas não me fascinam os seus torvelinhos musicais...

      Beijo constelado Estrela dos Tachos :)

      Eliminar