sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Sexo de Perdição



To play or not to play... that is never the question.

28 comentários:

  1. never! ;)

    estranho - tinha aberto este vídeo e depois abri a tua página... demorei um bom bocado até entender que a música não era tua! ;)
    http://www.youtube.com/watch?v=4PVhRFQiWYE&feature=share
    (fiquei com uma certa vontade de a experimentar :P)

    beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. NIN... diz-me tanto, mas tanto!

      Beijos

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Nunca!
      Bem-vinda Sophia!

      Eliminar
    2. Obrigada!
      Descobri o blog ontem e já o li de fio a pavio! Parabéns, adoro.

      Eliminar
    3. Recebo-te com um sorriso e um sincero agradecimento.
      Beijo

      Eliminar
  3. allways play.... if it means.....
    make it special... everytime...

    bjos carinhosos

    ResponderEliminar
  4. Nunca uma perdição...acho bom demais para ser perdição ahaha
    Um excelente fim de semana.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é tão bom quando nos deixamos perder em epopeias de êxtase... Gosto desse tipo de perdição... aliás, preciso dela!

      Votos de um fim-de-semana maravilhoso.
      Beijo

      Eliminar
  5. Toco-te na ausência do corpo, nas fronteiras da pele...
    Toco-te, em embalo de amante no segredo de um sentir sem acaso, na escuridão das noites.
    Toco-te,sem a ansiedade do sol que tenta descobrir os nossos afectos que me absorvem de perfume... O teu perfume!
    Toco-te, no labirinto dos nossos corpos que comunicam por gestos...

    *beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palavras que enobrecem e embelezam o teor deste post.
      Como tal... agradeço-te e deposito-te um beijo terno.

      Bom fim-de-semana!

      Eliminar
  6. Há questões que nem nos passam pela cabeça :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem vejo questões... só intenções! ;)

      Eliminar
  7. Always and every day!!!
    Kiss

    ResponderEliminar
  8. Uma pessoa chega aqui, ainda sem ter conseguido aterrar completamente depois da transcendental e inesquecível viagem de ontem e depara-se com isto....como é que possível encontrar palavras para te comentar meu querido Eros????

    Vou usar as palavras desta faixa que tem um arranjo musical simples, a contrastar com a intensidade e complexidade dos sons que ainda me ecoam nos ouvidos. Uma "rarity" da reedição do album de estreia "Three Imaginary Boys" escrita no grande ano de 1978 (when the Star was born). Marca o ínicio de um grandioso e evolutivo percurso (o que é sempre um bom presságio) e as palavras são tão adequadas....

    PLAY WITH ME
    "
    ...
    I whisper in your ear
    And on my knees I tell you that you are
    Desirable
    ...
    I stroke your neck
    And lick your neck
    And do just what you tell me to
    Sometimes I'll beg
    But only when you want me to

    Don't need to cage me
    To close all the doors
    As long as you keep me
    I will always be yours
    Play with me
    Play with me

    I know that you need me
    I know that you care
    You know that I may not love you
    But I will always be there
    ...
    Won't you play with me?
    Please come play with me"

    http://youtu.be/v45p79YPqCs

    O que é simples também pode ser tão Belo.....

    Beijooooos *Estrela*dos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu bem te avisei ;)
      Já li que tocaram as mesmas faixas... das inéditas retenho a "Hrafntinna", estreada mundialmente perante a minha presença :P
      Assombrosos!

      Beijos constelados e nunca minimalistas.

      Eliminar
    2. É verdade que me avisaste, mas uma experiencia daquelas é algo que não se consegue explicar!
      Da "Hrafntinna" o que mais me marcou foi o momento em que o ambiente se tornor vermelhor e uma chuva de pontos luzentes invadiu o ecran, como estrelas a brilhar num céu de sangue...
      Mas para mim, das novas, retenho o faixa de abertura "Yfirborð" talvez pelo deslumbre de vislumbrar o palco evolto no véu luminoso onde se projectavam nuvens em tons de verde e por onde se vislumbravam as sombras dos protagonistas do espectáculo. Adorei esta primeira parte, principalmente a sombra enorme de Jónsi projetada no pano durante o "Ny Baterry" a mostrar o Gigante que ele realmente é.
      E das novas, também fiquei com o "Brennisteinn" marcada na mente, a última faixa antes do ancore. Aqueles feixes luminosos verdes fluorescentes, por vezes a lembrar ovnis outras vezes a lembrar raios a rasgar os céus, por cima da luz terracota do palco onde apenas se viam as sombras dos músicos....levaram-me para outro planeta.

      Cada faixa transmitia emoções diferentes, mas a verdade é que, apesar de te poder parecer demasiado vulgar, para mim o melhor momento do concerto foi o "Hoppípolla". A chuva de estrelas com que abriu, os pontos coloridos a voar freneticamente no ecran a lembrar estrelas coloridas ou fogo de artíficio, a sala repleta a entoar a melodia e o contacto com o público que estabelecam nessa faixa, com o folospot a insidir sobre a plateia, provocou uma energia inigualável em mais nenhum momento do espectáculo.

      Mas não sei se foi assim no Porto....não tive muita disponibilidade para andar a espreitar as críticas :(

      Poderia continuar a falar e falar e falar das diferentes emoções que senti ao longo do espétaculo...sabes como a minha língua se solta quando o tema é este....mas apelo à razoabilidade e fico-me por aqui :)

      Beijooooos *Estrelado*dos* em ti

      Eliminar
    3. No Porto foi tudo bastante idêntico, sendo que uma amiga que assistiu aos dois revelou maior calor aqui em cima, até porque foi o único dos dois recintos a esgotar.
      Sobre a "Ný Batterí", foi uma maravilha revivê-la... ele rasga aquela guitarra com o arco de forma única e a letra da faixa, para quem lê a tradução, é de uma poesia esmagadora... literalmente.

      Sobre a tua língua... adoro quando a soltas :P

      Beijo constelado!

      Eliminar
    4. Bem....assim aguças a minha curiosidade! Conheço pouco a tradução das letras neste idioma que me é completamente estranho, com a excepção de algumas faixas em que me empenhei em procurar como "Hoppípolla/A Saltar Poças" pela força que transmite.
      Agora também já entendo as "Pilhas Novas/Ný Batterí"
      "Aftur Á Ný/mais uma vez
      ...
      Aleinn Á Ný/estou sozinha outra vez"

      Sempre a aprender contigo :)

      Beijooooo *Estrela*do*

      Eliminar
  9. Sempre jogar... Jogos de prazer e sedução... Em corpos ansiosos que se buscam e se perdem... Em prazeres profanos... Em êxtases líquidos... ;)... Beijokas sedutoras e um ótimo fds... Madame K...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em arroubos existenciais!

      Beijoca e belo fim-de-semana!

      Eliminar