quinta-feira, 18 de abril de 2013

chicoTEAR



Tinha acabado de A chicotear.
Bárbaro?! Nada disso! Até porque há várias formas e apetrechos para açoitar e por vezes, até a bela da chibata é perfeitamente dispensável. Ela estava a resvalar para aquele Lugar onde precisa de Voar. «Fode-me, por favor!». Os seus olhos reviravam perspectivando o horizonte do clímax. Uma palmada assertiva devolveu-A para ele. Focagem… ele pretendia focagem no meio daquele desassossego. Ela assimilou a instrução emudecida, os seus olhos estabilizaram e uma Luz brotou do seu interior. Ela desejava justamente aquilo que ele delineava… tomá-La como a Mulher completa que era, como a Mulher vincada que era… e estilhaçá-La até às suas fundações. Ela confiava-lhe a sua reconstrucção. Não porque ele A desejava à sua imagem e semelhança. Nada disso! Porque ele A lobrigava melhor que Ela própria… porque ele A reverenciava… porque ele A sabia e desejava Única, sucedida sem obstruções da vida convencional… porque ele tinha a determinação para fazer dEla o seu quotidiano, reconstruindo-A todos os dias, matizando sempre uma nova cor na sua aura. «Quero que me faças tua. Toma o meu corpo. Toma a minha respiração. Leva-me ao limite. Por ti! Para ti!». As suas derradeiras palavras de rendição vaporizaram um feitiço no ar, à medida que a sombra dele A velava e as suas acções se tornavam um bisturi que debulhava a sua pele antiga.

14 comentários:

  1. " Tinha acabado de A chicotear.
    Bárbaro?! Nada disso! Até porque há várias formas e apetrechos para açoitar e por vezes, até a bela da chibata é perfeitamente dispensável. "...inicio de texto com tanto,mas tanto significado...adorei passar aqui mesmo antes de me deitar !

    um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou seja, em vez de um momento Vitinho, tiveste um momento Eros ;)
      Há sempre textos que nos evocam momentos supra-pessoais, mesmo quando redigidos e soprados para outras direcções específicas. Quando um texto é publicado, de certa forma deixa de pertencer exclusivamente ao autor, mas também ao leitor compelido.

      Eliminar

  2. Sem palavras...
    Um feitiço de pele... e Alma!

    Beijos em ti ;)

    ResponderEliminar
  3. Intenso sempre. Inimaginável. Erótico como só tu sabes ser.

    Beijo meu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Intensidade... sempre a Intensidade!
      Que nunca deixe de borbulhar com autenticidade.

      Eliminar
  4. Bom dia! Apenas para dizer que as tuas palavra ... bem, nem sei.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Gira!
      Não sabes? E quem disse que é preciso saber?
      O fulcral é sentir :)

      Eliminar
  5. Bárbaras são as tuas palavras que nos arremessam dialectos de ternura e suspiros de tesão.
    Esta é a Tua verdadeira essência.Gosto de Te sentir assim.

    Bom dia, Eros :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois então que a essência aflore no corpo focado, desenterrando vocábulos e onomatopeias de pura luxúria.

      Bom dia, Soul :)

      Eliminar
  6. Se lesse este texto há um mês atrás, não o entenderia como entendo hoje...

    Beijo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Evolução... estamos em constante aprendizagem... para o Bem ou para o Mal...

      Bom fim-de-semana Juliet!

      Eliminar
  7. "(...) um bisturi que debulhava a sua pele antiga."
    E como é sublime renovarmo-nos a cada toque, a cada beijo, a cada entrega...

    Beijo(te)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a combustão de qualquer relação...

      Eliminar