quarta-feira, 1 de maio de 2013


10 comentários:

  1. Respostas
    1. C'est bon, n'est-ce pas?

      :)

      Eliminar
    2. Oui! Oui! Oui! Ouiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!

      Eliminar
    3. Où est la pluie? Qu'elle vienne! Tout de suite!!

      Eliminar
  2. Uiiii... delicioso:)

    Beijo*

    ResponderEliminar
  3. Agora que finalmente está a chegar o Sol...tu chamas pela chuva Eros? Se o S. Pedro te ouve vais ter que ajustar contas comigo...
    Não querendo minimizar a magia de um beijo à chuva, à que caminhar lado a lado com a Natureza e nunca contra ela. Tu que tens o dom de imaginar o inimaginável, vais dizer-me que não te lembras de uma forma de oferecer um beijo duplamente molhado sob o céu iluminado por um Sol quente e brilhante? Essa até eu sou capaz ;)

    Mas pronto, deixo o Camaleão que te acompanha nos desejos....mas se continuas a pedir isso vou achar que entraste em "Blackout" e faço-te o que ele diz: levo-te ao médico!

    "If you don't stay tonight
    I will take that plane tonight
    I've nothing to lose,
    nothing to gain
    I'll kiss you in the rain
    Kiss you in the rain
    Kiss you in the rain
    In the rain
    Get me to the doctor"


    http://youtu.be/Uz7vhDHPlyk

    Beijos constelados
    da Tua *Estrela*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cintilante Estrela, haverá algo mais sensorial que uma chuva morna de Verão (se bem que ainda não atingimos essa estação)? Aqueles pingos serenos que contrastam com a ebulição do corpo... Não sentes como a pele, por vezes clama por esses pingos transcendentais, ainda para mais deste povo que tem a fortuna deste clima maravilhoso que suporta mais de nove meses sem pluviosidade?

      E digo-te mais, no dia 30, nada me faria mais feliz que acompanhar a Obra-Prima nocturna de James Blake e o nosso Nick Cave à chuva, no meu Parque da Cidade. Seria o cenário perfeito!
      Certamente já experimentaste a portentosa vivência de um concerto à chuva... o meu concerto à chuva de eleição, leva-me de volta para Vilar de Mouros e para o inesquecível Neil Young. Estavas lá? Se estiveste, certamente não dirias tão mal de São Pedro, seja em que estação for. Pois a excepção à regra por vezes é inebriante, mesmo quando proporcionada pela Mãe Natureza.

      Beijo constelado :)

      Eliminar
  4. Confesso que o Overgrown não atingiu as minhas expectativas Eros. Quanto ao nosso Gingerman, rendo-me à magia que seria sentir lágrimas a cair do céu e resfriar-me o corpo que estará certamente a ferver de emoções, embalada pela sua música e ofuscada pela visão da sua imagem. Sou ver se meto uma cunha ao S. Pedro :)
    Não, não estive em Vilar de Mouros em 2001, os festivais do norte representam falhas graves no meu curriculum musical...já te falei disso.
    Mas a tua referencia a James Blake reporta-me para noites de dança à chuva com beats eletrónicos a encher o ar e a penetrar-me o corpo. Recebíamos a chuva como uma dádiva e outro nome não poderia ser mais apropriado. Boas recordações de velhos tempos e de noites com muita, muita magia.

    Lá estarei no teu parque da Cidade, vamos ver se o S. Pedro se junta a nós :)

    Beijoooos constelados
    da Tua *Estrela*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda ao Norte, carago! :)
      Sobre James Blake... shame on you :P

      Beijo constelado

      Eliminar