quarta-feira, 29 de maio de 2013

Dilúvio Delator



Imerjo numa fragilidade inaudita, sempre que desconstrói as nuances da emersão da minha robustez. Incapaz de ocultar o meu desejo por Ela, as minhas mãos e o meu corpo fluem instintivamente na sua direcção. Ávido pelo seu toque, sorvo qualquer minúcia que me concede… latejando em virtude do seu feitiço, que invoca paulatinamente as gotas da minha poção. Sem dizer uma palavra, refestela-me no sofá, desaperta-me o cinto e desembaraça-me do tecido que confinava a intumescência do meu desejo por Ela. Envolve-me com as suas mãos delicadas… puxa-me para Ela… aperta-me até decorar cada uma das minhas veias… chicoteia-me com a língua na recolha do primeiro pingo de néctar… e beija-me com um sorriso… quando se apercebe que a enxurrada está próxima.

6 comentários:

  1. Beijar com um sorriso é sempre bom...principalmente nestas alturas ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Torna a comunicação ainda mais eloquente.

      Beijo

      Eliminar
  2. Para uma boa festa, nada como uma explosiva bomba de confettis! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que a festa não termine assim que ela deflagrar... ;)

      Eliminar
  3. Eros,

    a imagem até era desnecessária, depois das tuas palavras tão descritivas e eloquentes... :D

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagem e Palavra são dois Amantes inseparáveis ;)

      Beijinho

      Eliminar