segunda-feira, 13 de maio de 2013

Encore



Cinco Vezes.
Por Cinco vezes gritaste pelo meu nome à medida que os Teus sentidos se deflagravam, que a noção geográfica esvaecia e que o Teu corpo explodia. Por Cinco vezes, foste arrebatada para renovados Nirvanas… cada um perfeitamente distinto do anterior.
 
Aturdida, colapsaste na cama enquanto porfiava nos abalos da investida… ambos encharcados em suor, cuspo, mel e esperma… embebidos pela glória do grotesco de uma bela refrega carnal. Amparada numa réstia de força, olhaste para trás, mordeste o lábio inferior, encaraste o meu olhar mareante e suplicaste por um derradeiro maremoto. Investi então, acossado, firmando as Tuas ancas, tombando nas tuas costas com dentes enterrados no Teu ombro… e explodimos em simultâneo com uma ferocidade primitiva. Agarrei rapidamente nas tuas cuequinhas, e verti nelas umas derradeiras gotas do meu néctar. Virei-Te para mim, abri as Tuas pernas e tapei com a palma da minha mão esse latejar, contendo toda a energia, refutando o esvaecimento místico do pós-orgasmo. Beijei-Te apaixonadamente e vesti-Te novamente com as cuecas humedecidas por mim. O meu beijo aprofundou e a minha mão começou a estimular-Te novamente sobre as tuas cuequinhas de renda, espremendo ligeiramente o meu suco residual através do tecido e disseminando-o à volta dos Teus lábios vaginais. De rompante, afastei o tecido e enganchei dentro de Ti o dedo médio e o anelar. Gritaste em delicioso desassossego… mesclavas aquela auspiciosa expressão de dor soluçada com sorrisos minimalistas… e fixaste o Teu olhar no meu, quando atingi aquele ponto precioso. Mordeste o teu lábio para impedir o alarido, mas as exclamações sonoras escaparam naturalmente de Ti. Os Teus olhos humedeceram, corrompendo a maquilhagem já desbotada, enevoando a visão do meu olhar devotadamente fixo. Os Teus joelhos flexionaram contra o meu braço, numa vã tentativa de protecção do assalto de prazer, mas as Tuas ancas, com plena noção da sua função, arremessaram contra mim. O Teu portentoso clímax rapidamente salientou a libertação sob a minha tirania lasciva.
 
Parei todos os movimentos. Dedos bem enterrados em Ti, enquanto montavas as ondas de êxtase. Acolhi-Te no calor do meu peito e temperei o Teu pescoço, rosto, olhos e finalmente lábios, com a brandura de uma sequência de beijos. Quando finalmente descravaste essas garras das minhas costas, espiralei por uma derradeira vez os meus dedos dentro de Ti, colhendo o máximo possível do teu xarope pecaminoso. Graciosamente, abriste a boca e sorvemos em conjunto cada uma das gotas desse elixir, rematando o festim com um beijo tão profundo que despertou novamente as Almas exauridas pelo fulgor da batalha sexual…
 
Sete vezes.
Sim, eu contei… mas quem Te disse que o Encore já havia terminado?
Aliás… quem Te disse que o Encore já havia começado?!...

26 comentários:

  1. Sinto cada palavrinha tua... tens um dom... o de saber escrever...deixas-me bêbeda com esta leitura...
    Um beijo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é tão bom embriagarmo-nos de tesão...

      Beijo...

      Eliminar
  2. Pronto para o que falta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por alguma razão Ela alcançou o Sétimo (Céu) daquela forma.
      Há uma religião que diz que ao Sétimo ele descansou... a minha Religião é diferente.

      Eliminar

  3. Não te esqueças de respirar e ganhar fôlego, sim?

    Beijos moçoilo ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O fôlego que eu pretendo ganhar ou rapinar... é o dEla!

      Beijos moçoila ;)

      Eliminar
  4. Intenso...






    Boa semana!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Votos de uma bela semana, Luna :)

      Beijo... intenso

      Eliminar
  5. Deixa a pobre da moça respirar! Ou então faz melhor, dá-lhe o teu ar ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim foi... Assim é... Assim será!

      Eliminar
  6. As palavras abandonaram-me por completo.


    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não as percas... pois são um dos nossos maiores sustentos identitários.

      Eliminar
  7. Gosto da forma como escreves e descreves ...

    muito bom.

    :)

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço as tuas palavras, mas as minhas palavras não merecem tais palavras :)

      Beijos Bia!

      Eliminar
  8. esta imagem fez-me pensar no livro que estou agora a ler: 50 sombras de grey. Já lês-te?
    Tenho a sensação de que ias gostar :)

    Beijo doce xxx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li e sinceramente abominei a Trilogia. A escrita da EL James é repetitiva e a polpa narrativa é tão nutritiva como uma pizza congelada... :)

      Dentro do género, prefiro a Trilogia Crossfire da Sylvia Day, pois esta ao menos sabe escrever.

      Beijo

      Eliminar
  9. Desarmas qualquer um com a minúcia desta descrição que escorre tesão em cada sílaba Eros. E terminas com a alusão aos sabores que é algo que a mim me deslumbra particularmente.
    Superas-te a cada dia....nas palavras e na vida presumo eu. E isso deixa-me com um sorriso de orelha a orelha :)
    Um encore com essa imponência, que reclama a presença de forma irrecusável, a misturar a vontade de continuar com o inevitável fim faz-me lembrar um momento inesquecível o ano passado em Cascais, num concerto que fui inesperadamente com um bilhete oferecido às seis da tarde do próprio dia e em que foi uma explosão de energia dificilmente igualável. É fantástico quando somos surpreendidos pelo inesperado e nessa noite, depois de deambular a voar sob os braços da plateia, a energia que emanava do público era tão forte que ninguém arredou pé quando acabou. Era a Erykah Badu...voltou para um encore com a banda, não de cinco mas de 4 faixas e mesmo depois de a banda abandonar o palco, o público permanecia determinado e ela não conseguir ir embora e cantou mais 3 faixas, as duas últimas já com os rodis no palco e com todas as luzes apagadas....era só ela e nós todos a vibrar. Apesar de não ser o meu estilo musical, é um momento que vou sempre recordar com uma enorme emoção.
    Fica um momento de má qualidade, mas se me conhecesses ias poder ver-me na fila da frente :)
    http://www.youtube.com/watch?v=zUqYDBO5Hpc&feature=share&list=PLCF40E61CC628539F

    Às vezes vale a pena mergulhar no desconhecido... e ser presenteados pelo inesperado.

    Beijos constelados
    da Tua *Estrela*



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de Encores sem limite de actuações... o inesperado rasga-nos o Mundano... e eu preciso disso! Sempre bem na fila da frente :)

      Beijo constelado

      Eliminar
  10. deliciosa descrição :)

    ResponderEliminar
  11. fico arrepiada cada vez que leio estes teus textos... que bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já sentia saudades de te saber por cá...

      Eliminar
  12. Que privilégio ler-te ..
    Que privilégio ..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O privilégio é todo meu, em receber-te por cá.

      Eliminar
  13. consegues deixar almas em êxtase ...

    ;)
    Beijos meus em teu coração, Eros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está a minha Nany desaparecida ;)

      Beijos nesse coração, minha Cara!

      Eliminar