sábado, 1 de junho de 2013


2 comentários:

  1. Pois... lembrou-me o personagem principal do filme Trainspotting que utilizava essa frase como argumento para convencer a malta a meter-se na heroina...
    Há ainda muitos tabus, muito desconhecimento do proprio corpo e do outro, medo de o conhecer. Enfim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trazer o clássico de Boyle para uma das minhas caixas de comentários já é, só por si, motivo de regozijo :)

      Eliminar