quinta-feira, 13 de junho de 2013

Marcha


Quando estavas sob o meu corpo, recordava-me que acima de Nós encontram-se estrelas, mas nenhuma constelação ostenta o Teu nível de refulgência. Lá em cima há uma Lua que reflete a Luz do Sol, mas cá em baixo há um Rapaz que prefere contemplar como reflete no Brilho dos Olhos de uma certa Rapariga. Lá em cima, há cometas no encalço de vários corpos celestes, mas aqui na Terra há um Rapaz atrás de uma Única Rapariga.

Olhei além do Enquadramento. Precisava de o fazer. Não para proteger o meu Coração, pois quando o entrego deixo de me preocupar com ele… até um dia, se algo correr mal… ou até Sempre, se Tudo correr Bem. Desviei o Olhar por breves instantes para sorver a Aura que matizavas no Espaço envolvente. Deitaste-me numa almofada de dedos, pele e lábios que sugavam cada um dos meus batimentos cardíacos. Sorvendo a derradeira resistência da minha Alma.

Fazes-me desejar o impossível… e quando me fazes desaparecer no Teu Beijo, nem penso na possibilidade de um desgosto amoroso. Vivo o Presente. Vivo-Te como o Presente. Dou-me ao Presente. Dou-me como Presente. Retenho a Urgência de aninharmos um no outro. Detenho-me na sensação das Tuas mãos no meu cabelo, das Tuas ancas sob o meu peso… e quando abres a Tua boca, somente cogito naufragar em Desejo. Mergulhamos em Nós. A minha barba pincela o Teu peito e os meus lábios veneram as veias do Teu pescoço. Ao beijar o Teu ombro, memorizo o som da Tua respiração ao meu ouvido. Os Teus gemidos são Puro Xarope e eu provaria a doçura do Teu remédio para Todo o Sempre.

Sugo um mamilo. Sugo o outro mamilo. Saudoso. Esfomeado. A minha língua descreve um círculo no Teu clítoris, bem antes de clamar a Tua turgidez com um tornado criado resolutamente. Ao cedermos ao Prazer, as Nossas cabeças tombam para trás e apercebemo-nos que a tortura será sempre um delicioso método de homicídio sexual. Abres-Te para mim, mas detenho-me na Entrada… pauso... como se fossemos meros vizinhos e aguardasse por um convite formal. Todavia, os nossos intentos são estrondosamente denunciados pela forma como nos acirramos mutuamente sob o Pórtico. Investes contra mim, no exato momento em que me afundo em Ti. Fundimos o Olhar… numa Marcha de Fogo, Luxúria, Gula e certamente AMOR. Somos Um! Sinto-Te a latejar à minha volta e Tu sentes-me a pulsar dentro de Ti… Completos… Inteiros…Unos!

8 comentários:

  1. sexo é bom, muito bom...
    mas sexo apaixonado....... é mágico! :)

    é sempre um prazer ler-te.

    beijos, Eros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quando o Sexo é Enamorado?... Transcendental!

      Beijos :)

      Eliminar
  2. Já não passava aqui há algum tempo, pelo que me demorei um pouco mais, já tinha saudades de te ler :)

    Bom fim-de-semana Eros
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      Bom fim de semana Bia!
      Beijinho

      Eliminar
  3. Uma Marcha de Santo António inesquecível, com certeza...
    Beijos
    OF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com petiscos bem mais suculentos que a melhor sardinha e fragrâncias bem mais inefáveis que o melhor manjerico...

      Beijos

      Eliminar
    2. O que é o sabor de uma boa sardinha e o aroma de um belo manjerico em comparação com o sabor dos corpos e a fragância da maresia no horizonte?

      Beijos
      OF

      Eliminar
    3. Essas palavras dão vontade de navegar pelos horizontes da memória e de mergulhar na realidade da história...

      Beijos

      Eliminar