sábado, 29 de novembro de 2014

(A)Fluente


Poderia vogar em cada curva
Sinuosa
Pescar em todas as suas margens
Ribeiras ou pontes
Contemplar como apreende
A Luz no seu leito
Mas jamais assimilaria o Rio
Até sentir o seu curso
A Sua corrente
Envolta na minha pele.

Para compreender uma Mulher
Não é preciso tocá-La
Mas estar disposto a ser tocado.
Estar disposto a soçobrar.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

A Equação da Minha Estação


É um frio elementar,
Novembro.
Não é uma frialdade de Janeiro
Nem uma punição ártica.
Mesmo assim,
És Tu
Quem resolve o estremecimento da solidão
E as noites sem o devido aconchego.
És Tu,
Quem agasalha as fórmulas…
As percentagens de nudez,
De cobertores,
De lareiras crepitantes,
De beijos e mordidas,
De tesão desafiador de sopros gélidos
E de orvalho madrugador entre as pernas.
Preciso de Ti,
Encarregue da Matemática…
Convertendo corpos em graus
E almas dissolventes em lenhas abrasadoras.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

exCITAÇÕES


(...)

You could be my favourite taste
To touch my tongue
I know someone who can serve me love
But it wouldn't fill me up
You could have my favourite face
And favourite name
I know someone who could play the part
But it wouldn't be the same
No it wouldn't be the same
No it wouldn't be the same
No it wouldn't be the same
With you

You could be my favourite place
I've ever been
I got lost in your willingness
To dream within the dream
You could be my favourite faded fantasy
I've hung my happiness upon what it all could be
And what it all could be
What it all what it all could be
What it all what it all could be
With you

(...)

You could hold the secrets that save
Me from myself
I could love you more than love could
All the way from hell
You could be my poison my cross
My razor blade
I could love you more than life
If I wasn't so afraid
Of what it all could be
What it all what it all could be
Of what it all what it all could be
With you

(...)