quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Homofonia



Irei amar a Tua boca
Até se encher de vogais
Até constatar assonância
A verter dos Teus Lábios.
Buscarei sugestões
Nos padrões da Tua pele
E declamarei poemas
Que espreguicem os Teus ossos
E corrompam as Tuas tensões
Descerrando-Te
Com a minha voz.
Irei amar as Tuas pernas
Aliterativas
Desde os tornozelos
Até às nádegas
Fodendo-Te em linhas paralelas
Até findares em Rimas.
Irei amar-Te
Até nos perdermos
Numa Homofonia extrema.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

exCITAÇÕES



(…)

My lover's got humour
She's the giggle at a funeral
Knows everybody's disapproval
I should've worshipped her sooner

If the heavens ever did speak
She's the last true mouthpiece
Every Sunday's getting more bleak
A fresh poison each week

(…)

My Church offers no absolutes
She tells me, 'Worship in the bedroom.'
The only heaven I'll be sent to
Is when I'm alone with you

I was born sick,
But I love it
Command me to be well

(…)

Take me to church
I'll worship like a dog at the shrine of your lies
I'll tell you my sins and you can sharpen your knife
Offer me that deathless death
Good God, let me give you my life

If I'm a pagan of the good times
My lover's the sunlight
To keep the Goddess on my side
She demands a sacrifice

Drain the whole sea
Get something shiny
Something meaty for the main course
That's a fine looking high horse
What you got in the stable?
We've a lot of starving faithful

That looks tasty
That looks plenty
This is hungry work

(…)

No Masters or Kings
When the Ritual begins
There is no sweeter innocence than our gentle sin

In the madness and soil of that sad earthly scene
Only then I am Human
Only then I am Clean
Amen.

(…)


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Precipitada em Mim


Havia chuva
Dentro da Tua boca.
Sei disto
Pois há jazigos
Debaixo da minha língua
Que nunca provaram o sabor das flores
Até Te beijar.

Fica ciente
Que não pretendo fenecer
Sem o meu núcleo fendido.
Pretendo perecer
Tão devastado
Que terão de existir
Biliões de purgatórios
Para abrigar todos os meus fragmentos.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Além do Princípio do Prazer



A esquina de uma secretária
Beija a Tua anca
Pisando-a.
Eu quero o que é Teu
O fardo que carregas
O foco, a pujança e a determinação
Que desmoronam
Quando pressiono essa nódoa negra.
Podes despir-Te
Do fardo
Das preocupações e prudências.
Podes confiar em mim
E deixar-me Amar-Te
Durante um bom bocado
Enquanto regeneramos
A lívido em Libido.