sexta-feira, 20 de março de 2015

As Intermitências da Voz



Este é o momento para sons guturais, respirações entrecortadas e gemidos abafados. É o momento para as minhas mãos, para a Tua garganta, para linhas negras de lágrimas escorridas, para batom desmaiado e para corrupio sináptico. É o momento para o meu caralho e para a Tua cona e para todos aqueles barulhos chapinhados que conseguimos fazer com eles. As palavras findaram. A Tua voz findou. E quando findar conTigo… quando formos apenas um enorme sorriso ofegante… quando pousares a cabeça no meu peito… quando espremeres a minha ereção com as réplicas de um orgasmo entre os Teus dedos… talvez aí tenha uma ou outra palavra para Ti. Talvez retire essa mordaça e permita que tenhas uma ou outra palavra para mim. Mas até lá, vou despojar todas as palavras do vocabulário dos Teus lábios.

6 comentários:

  1. Como sempre maravilhoso!
    Mas, quando saímos do ensaio, e partimos para a ação?
    Te amo! Te quero todo pra mim. beijinhos cheios de ternura e muito muito amor e tesão, é claro. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja humor, num planeta cada vez mais macambúzio :)

      Beijo

      Eliminar
  2. São barulhos molhados, gemidos profundos e selvagens. É fazer do corpo A voz :)

    ResponderEliminar
  3. Ola....Gostei...profundo....principalmente a parte "quando espremeres a minha ereção com as réplicas de um orgasmo "....fez me lembrar algo kkkkkk
    fica bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma evocação universal de um momento singular... :)

      Bom fim de semana.
      Beijo

      Eliminar