quarta-feira, 11 de março de 2015

Desemplumar



Amo-Te
Como se fosses uma ave
E estas mãos
Fossem feitas de vento…
Por vezes
Serás afagada
Outras vezes
Perderás algumas penas
E adormecerás
A sonhar com tempestades.

12 comentários:

  1. tempestades podem ser comparadas com uma louca noite de amor... e raios e trovões a estremecer camas e quartos. e eis uma grande verdade... a chuva arrepia-me a alma e o cheiro da chuva entorpece-me.

    Beijos em teu coração, Eros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom ver-te por aqui, de regresso, Nany.

      Beijo

      Eliminar
    2. Bom estar por cá!

      Beijos :)

      Eliminar
    3. Bom fim de semana!

      Beijo :)

      Eliminar
  2. Por vezes queria ter asas. Outras queria que nunca as tivesse tido.

    Beijo, Eros. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ter ou não ter, eis a Questão.

      Beijo

      Eliminar
  3. E por vezes, talvez, possa tentar voar contra o vento, de forma a sentir-lhe toda a força e intensidade...
    Um beijo, e um obrigada enorme por todas as palavras (as que deixas no meu blog, e as que deixas aqui no teu, que me enchem sempre a alma!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um Beijo AM.
      Que toda essa intensidade alicerce cada nanossegundo do teu eterno quotidiano.

      Eliminar
  4. Há sempre uma tempestade dentro de nós à espera de ser provocada!


    Beijooo grande em ti

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de gente sem medo de trovões.

      Beijo

      Eliminar
    2. Lembro-me de ficar horas a ver as tempestades desenhadas nos céus... não sou de ter medo de nada!


      Jinhos

      Eliminar
    3. Ah Valente!
      Jamais te imaginei sucumbir à fracas fraquezas... :)

      Eliminar