terça-feira, 24 de março de 2015

Dualidade Onda-Corpúsculo



Ela vinha-se em séries de dois, ao passo que ele demonstrava a soledade de um único momento orgástico. Havia filosofia ali, espaço para Ela trazer à baila a ironia de um sofisma sociológico. Mas a sua mente encontrava-se demasiado turva para qualquer tipo de asserção perspicaz... para qualquer apontamento sobre o confronto entre a dualidade feminina e o estereótipo do desígnio unidimensional masculino.

4 comentários:

  1. Quanto a mim, a quantidade certa!

    De volta, meu caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já reparei, minha cara conterrânea.

      Eliminar
  2. não posso deixar de reparar nos braços do homem...
    :)

    ResponderEliminar