quinta-feira, 26 de março de 2015

Sua



Por vezes
Após adormeceres
Respiro contra o espelho
Das Tuas costas desnudas
E esboço o meu coração
Na Tua pele embaciada
Pela penumbra.

De manhã
Confessas-me um sonho
No qual Te firmava
Tocava
Cheirava
Fendia
E fodia.

Gosto dessa fragrância
«Sou toda Tua»
Desse aroma
«Usa e Abusa»
Desse perfume
«Algema-me com a tua Vida»
Desse odor
«Lambe esta Pele que sua».

4 comentários: