terça-feira, 14 de abril de 2015

DizPara



Ele sempre encontrou uma fórmula
Para fazê-La sentir gasta
Como se houvesse sido disparada
Pelo cano de um revólver.
Ele era a arma
Ela era a bala
E quando se consumava o Tiro
Tudo aquilo que restava
Era uma cápsula
Estatelada no solo
A fumegar
Demasiado quente
Para se voltar a tocar.

2 comentários: