sexta-feira, 24 de julho de 2015

Alice e o Felino



Ela leu Carroll na infância. O que por si só, já é meio caminho andado para invocar a minha consideração. A toca do coelho fascinava-A, tal como o guarda-roupa das crónicas de C.S. Lewis. Representava um ponto de transição, onde a Realidade tombava na Fantasia. A claustrofobia pressagiava uma metamorfose, num afunilamento que precedia o arremesso na vastidão de um glorioso Novo Mundo. A sua minúscula dimensão, todavia, não pretendia comprimir o viajante, mas a sua visão de Casa. Essa encontrava-se sempre no canto do olho da sua mente. Era o buraco no tronco da árvore… o abraço inerte das vestes no guarda-roupa.

Inicialmente, julgava-me o Coelho… e seguia-me para todo o lado. Contudo, ainda havia uma fenda de luz, que lhe iluminava a nostalgia. Embrulhava-A quando se encontrava na presença dos amigos, momentaneamente longe de mim, antes de voltar a tombar pela Toca do Coelho. O que a desconcertava era o facto de começar a ser difícil discernir a Fantasia da Realidade. Sentia que na minha presença havia uma mescla de fascínio e de terror. Eu, signos à parte, era um Touro enraivecido e de alguma forma, em alguns momentos, havia conseguido domesticar-me. Apesar do animal estar sempre presente, chispando no meu olhar enquanto A fodia, queimando na minha mão enquanto A asfixiava na propulsão dos orgasmos.

Tudo o resto, era um passeio pelas vicissitudes do quotidiano, com deambulações por alguns escaparates europeus, com visitas a catedrais de fachada enófila, gastronómica e artística. Era como um passeio pelo Kansas, bem longe da estrada de tijolos amarelos de Oz. A sua desorientação residia em grande parte no erro de julgamento ao emparelhar-me com a personagem do Coelho. Se tivesse prestado a devida atenção ao sorriso malicioso que aparecia e desaparecia do meu rosto, durante as conversas iniciais, teria imediatamente constatado que se encontrava na presença do Gato de Cheshire no seu próprio País das Maravilhas.

16 comentários:

  1. O Gato de Cheshire é sem dúvida o meu personagem preferido, a sua loucura sensata diz-me tanto que está nos meus planos eternizá-lo na minha pele :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se bem que o Chapeleiro Louco...
      ;)

      Eliminar
    2. Naaaaa... não condiz com o meu tom de pele ;)

      Eliminar
    3. Falo de loucuras...
      Tatuagens já não é o meu departamento... Até porque seria uma blasfémia macular esta pele... ;)

      Eliminar
  2. Ahahahahahahah :D Falamos do mesmo, Caríssimo ;)

    ResponderEliminar
  3. Isso agora... só Deus e o Diabo... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom fim-de-semana Sinfodónica :)

      Eliminar
  4. gostei de te voltar a ler :)
    bom Domingo Eros. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom domingo Bia!
      Bom ver-te ativa pela blogosfera.
      :)

      Eliminar
    2. Tenho estado de férias da blogosfera, mas ... voltei não podemos passar a vida de férias :) ... beijoooooos

      Eliminar
    3. Acho bem... Acho muito bem :)

      Beijos

      Eliminar
  5. Respostas
    1. "... You can't help that..."
      :)

      Eliminar