quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Flor-de-Sal



Quando entraste no quarto
Para me depositar um daqueles beijos
Que nos sustentam
Pelas horas que nos desvinculam
Ao longo do quotidiano laboral,
Encontraste-me despido
Em frente ao espelho
Fitando-me com esses olhos de Gomorra…
E assimilei a razão
Pela qual a esposa de Ló
É uma Coluna de Sal.

4 comentários:

  1. A foto é muito bonita.
    E não sei bem a razão por que este post me faz lembrar o deserto, os lagos salgados, as rosas do deserto.
    E esses beijos são os mais cheios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por instantes, lembrei-me de Bernardo Bertolucci.

      Eliminar
  2. Que poema tão bonito :)
    Gostei do teu conjunto, imagem e texto. Encaixam um no outro na perfeição.
    Fica um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde o início deste recanto que as entrelinhas não são exclusividade das letras ;)
      Beijo

      Eliminar