sexta-feira, 5 de maio de 2017

O Lobo, enquanto Presa



Usa algo Vermelho…
Se soubesses como assenta
Tão bem em Ti…
Como se emergisses
Do Nascer do Sol
Ou do botão de uma Rosa
Ou de uma das minhas artérias…
Firmando-Te
Numa piscina de luz
Ou de pétalas
Ou do sangue obscuro do meu desejo.

Usa algo Vermelho…
Algo com um longo comprimento de onda
De luz visível… palpável…
Forçando-me
A sorver cada gota de tempo
Que me leva a despir-Te…
Materializando através do Vermelho
O desígnio da criação das cordas…
Atando os meus olhos ao Teu corpo
Amarrando as minhas mãos à Tua pele.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. O Vermelho tem essa característica.

      Eliminar
  2. ...desarmas[Te] numa entrega sublime!
    Beijo em tons escarlate ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijo de bom fim-de-semana... em tons carmim, se possível ;)

      Eliminar
  3. O poder e a atracção do vermelho estão muito associados a uma duplicidade de emoções, e de certa forma é naquele ponto do cruzamento entre a ligação à carne, ao amor, à paixão e arrebatamento, e do outro lado a imagem da violência, que melhor se percepciona essa magia.
    Muitas das vezes que penso no vermelho e na imagem do sangue, invariavelmente há uma associação à vida e à morte. E a morte também pode ser vista naquela acepção simbólica de "la petite mort".

    E deixo esta coreografia alusiva: https://www.youtube.com/watch?v=6S8xJ-7MT1U

    Bom fim-de-semana, Eros!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É justamente esse jogo de contrastes que me fascina.

      Bom fim-de-semana, Isabel!
      Beijo

      Eliminar