terça-feira, 9 de maio de 2017

Os Anos que Vestes em Mim



Conhecer-Te foi como encarar peças de um puzzle.
Pouco sabia sobre o Teu Quadro Geral Identitário, e não tinha certamente a mínima ideia do inferno pelo qual passaste para moldar essas formas, que resultam na pequena amostra que concedes ao mundo. Só sei que apenas sei como os Teus ângulos encaixam em mim. E por vezes, talvez demasiadas vezes, é(s) Tudo o que me importa… aquela sensação de uma ilha de sentido no epicentro de um universo caótico sem sentido.

6 comentários:

  1. Convém cultivar um lugar, um espaço sem dimensão definitiva, em que caiba a vida cujas peças não encaixam como as peças de um puzzle.
    Gostei de te ler, Eros!
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. É por causa disso que continuo a procurar o sentido das coisas.

    ResponderEliminar
  3. é maravilhoso quando finalmente as peças de um puzzle se encaixam perfeitamente!!

    adorei o teu texto :)

    ResponderEliminar