terça-feira, 20 de junho de 2017

A-MarÉ…



O meu primeiro Amor foi o Mar.
Fascinavam-me os rugidos das ondas a esbarrar na costa, enquanto enterrava os meus pequenos pés na areia… as conchas andrajosas e despedaçadas… os sussurros milenares dos búzios… o poder de atracção das correntes enquanto chapinhava na água… as histórias de Sereias e Conquistadores... e Ninfas!

Talvez seja por isso que Te vislumbro nas marés, subindo e descendo de forma epopeica a cada palavra. Esbarrando contra mim com a força que esse corpo Te permite. Gerando um remoinho no meu âmago. Talvez seja por vislumbrar um oceano nos Teus olhos… vasto e amplo… com sombras de verde e azul que me invocam num transe… fazendo-me soçobrar dentro de Ti.

O meu primeiro Amor foi o Mar.
O meu segundo Amor foste Tu.
Ou então, espera… talvez o Mar sejas Tu.

8 comentários:

  1. Vejo que regressaste bem, Eros!
    Estes textos com o mar ao fundo, ou aqui e agora, são a minha praia.
    Beijo para o dia

    ResponderEliminar
  2. Um "TU" como um mar eterno de Amor!
    Que lindo!
    Que poético!
    Mimos amorosos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há mar e amar... há ir e vir e voltar... ;)

      Beijo, Esmeralda!

      Eliminar
  3. Amar o que nos encanta apesar de todos os perigos é mesmo tentador. ;)

    Belas palavras!
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É justamente o perigo que catapulta o êxtase... o perigo de perder um momento...

      Beijo e bem-vinda Helena! :)

      Eliminar
  4. Andas muito bem inspirado, Eros.
    Este calor desperta a inspiração, parece. A inspiração e não só. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a inspiração não tiver uma bela dose de transpiração, o resultado será redondamente falso e falsificado :)

      Eliminar