sexta-feira, 23 de junho de 2017

Encomiástico



Talvez haja mesmo um Deus
Que me tenha criado
Com mãos que Te desejam.
Talvez tenha sido Deus
A esculpir a forma das Tuas ancas
Para encaixar na curva das minhas mãos
A cravar o peso das Tuas mamas
Na palma das minhas mãos.
Talvez tenha sido Deus
A separar os meus lábios
Para cobiçar os Teus.
E se não fores crente,
Porque me adulas de joelhos?
Talvez seja o somatório
De todas as partículas de Ti
Que elevam Deus em mim
E geram a minha necessidade
De louvar o Teu Criador.

8 comentários:

  1. Aprendi uma palavra nova hoje!

    ResponderEliminar
  2. Louva a Deus mas não percas a cabeça :)

    Mimos agradecidos por ler algo tão belo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas sabe tão bem perder a cabeça!

      Eliminar
  3. Gosto muitíssimo do que escreveste, daí estar com imensa dificuldade em comentar. Até já tinha passado aqui várias vezes...
    Quando vejo escritos que falam de deus, ocorre-me sempre ao pensamento "deus não existe, mas era porreiro que existisse; e não existindo deus, é o não existente mais nomeado"
    E ainda há outra dificuldade, se deus existe, quem escreve assim é o quê?
    Bom fim-de-semana, Eros!
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As palavras também não escorrem facilmente de mim, perante palavras como as tuas.
      Resta-me um: Namastê... ou seja, uma vénia à divindade que há em ti. E em todos nós... pois apenas acredito nas pessoas... enquanto deuses e demónios.

      Beijo, Isabel.

      Eliminar
  4. Deus vive nos pormenores.
    Este texto está cheio deles.

    Louvemos a Deus?

    ResponderEliminar