sexta-feira, 9 de junho de 2017

No Melhor Pano se Clama a Nódoa



Há dias em que admito aparentar que possuo o hábito de A tratar com o desprendimento de um alfaiate… como se Ela fosse um mero tecido que merece vistoria, emenda e disposição no seu devido lugar. Pego nEla, volto-A, com as mãos calejadas de um artesão numa tangente à sua pele delicada, mapeando todos os recantos que a fazem morder o lábio. Não falo. O meu rosto está imerso em concentração. No foco do trabalho manual que tem de ser feito. Direito.

Conhecia todos os seus pontos. Havia-os cartografado há meses. E Ela adora ser tratada assim. Manipulada… literalmente. Ela espernearia, por vezes, mas uma célere palmada era o suficiente para devolvê-la à quietude. Iria inspecioná-la, trabalhá-la… e Ela deixar-me-ia fazê-lo em (desa)sossego. Resistir seria algo inútil, fútil, aliás, seria traição! Derrotaria o propósito de Tudo. O meu Propósito. E Ela nunca desejou os louros desse tipo de triunfo.

«Sinto-Te diferente…», murmurei, confuso em encontrar uma mancha na minha trama preferida. Um ligeiro hematoma, na lateral exterior da sua coxa direita.

«Bati com a perna…», arqueando as sobrancelhas enquanto se tentava recordar, «… na esquina da mesa de jantar!»

Arqueei também as minhas sobrancelhas, fitando-A. Usei o meu dedo indicador para traçar um círculo nas margens daquela nódoa negra, aplicando um pouco de pressão. Ela estremeceu.
As suas pisaduras eram-me familiares. Mas algo não infligido por mim era uma surpresa, uma estranheza indesejável, algo sobre o qual não tinha qualquer controlo. A minha confusão era quase preocupante. Mas foi então que decidi ir um pouco mais além… desabando ferozmente a palma da minha mão naquele alvo. Ela gritou, gemeu e contorceu-se em afastamento, mas dei-lhe o bálsamo perverso do meu sorriso e prontamente lhe afaguei a coxa com toda a minha ternura… sussurrando-lhe:

«Agora é minha!»

6 comentários:

  1. Alfaiate tatuador de nódoas permanentes na alma.

    Mimos de fim de de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma Arte subvalorizada, diria.

      Um beijo.

      Eliminar
  2. Se elA assim gosta...
    Boas costuras!

    Beijos, Eros:)

    ResponderEliminar