quarta-feira, 7 de junho de 2017

Pedagogia para uma Versão Feminina de Ícaro



Sê um caos, mas ostenta um foco no centro do teu tornado. Sê a rapariga que está em todo o lado, mas chega sempre a casa em segurança. Voa numa aventura, mas chega ao teu destino. Podes tentar atiçar-me, mas não sejas estúpida ao ponto de cair na minha teia. Porque não é esse o teu desejo. Acredita! A ideia excita-te, eu sei, mas não estás preparada. És uma menina tonta, cheia de ideias tontas e arruinar-te-ia para o resto das pessoas. Retorcer-te-ia, esmagar-te-ia e derreter-te-ia todas as partes, vertendo-te por fim no meu molde. Transformar-te-ia num brinquedo perfeito, mas a definição de perfeito pode ser subjectiva. Cada cabeça, sua sentença. E a minha, é tremendamente diferente da maioria.

Iria possuir-te na palma da minha mão, literalmente. Por isso, não sejas o caos que macula a minha indumentária e que me obriga a enxaguá-la ferozmente até ficar imaculadamente apresentável. Voa perto do sol, mas não deixes que derreta as tuas asas. Não sou Dédalo e jamais serei o teu “paizinho”. Arruinar-te-ia para o próximo homem, e para o próximo, e para o próximo. Seria tudo o que há e tudo o que haveria. Por isso, vai andando menina. Considera-te prevenida. Brinca com o perigo, mas jamais o deixes consumir-te.

24 comentários:

  1. Recomendações a ter em conta.
    Bom dia, Eros!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem avisa, amigo é...

      Bom dia, Isabel!
      Beijo.

      Eliminar
  2. Li esta frase,que creio "servir-te" bem:
    "Vem para o meu inferno e eu ensino-te a brincar com o fogo"...

    Mimos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente brilhante!
      Daria um belo título ao post.

      Beijo :)

      Eliminar
  3. Este teu post raia o absolutismo de Luís XIV :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedagogia está longe de ser sinónimo absolutista. Assim como afirmação Identitária está longe do mesmo carimbo. Aliás, o próprio Luís XIV pouco tem a ver com convicções identitárias... uma pessoa tão pia como ele assenta mais depressa a sua crença num ser imaginário do que nele próprio... :P

      Eliminar
  4. ...gosto desta tua oblação[risos]
    Beijo daqui até aí ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é oblação... é um aviso à navegação! :)

      Reporta a uma memória de liceu, mas cuja pedagogia é imortal e sempre actual.

      Beijo

      Eliminar
  5. Dito por Eros (a ironia... ;) )

    Cuidado nessa pontaria ou ainda provas do teu próprio veneno.
    Sabes que Psiquê também brincou com os limites ,passou mal mas virou imortal (e feliz, dizem...).

    Não resisti... Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que provo o meu próprio veneno! É delicioso, viciante e nunca indigesto. Até porque o antídoto reside no meu próprio sangue... :)

      Beijo Mia!

      Eliminar
  6. Ora ... um texto muito bom.
    Contudo "e não sendo eu a menina", não o faz ... menos culpado ...

    Eu no lugar da menina afastava-me a todo o vapor ... se bem que esse aviso tbm é tentador.
    Conhecendo um bocadinho a vida ... não compensa as marcas que pode deixar.

    Boa noite e continuação de bom fim de semana, Dom Eros!

    ResponderEliminar
  7. Respondi uma vez maxx, acho que não ficou!

    Como hooje estou particularmente generosa :)) deixo ddois beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro gente generosa :)

      Dois beijos, pois então.

      Eliminar
  8. :))

    O que não quer dizer que seja, todos os dias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não deveriam haver limites para a generosidade. Mas admito que há dias com limites e limitações... ;)

      Eliminar
  9. Entre este e esse texto, vão quilómetros de brincadeiras ... :)

    Gastei metade da adolescência a fustigar-me por desconhecer aquilo que realmente desejava, mas hoje alicerço a minha certeza nisto: quero o cheiro do Teu cabelo nos meus lençóis após o duche; quero trautear conTigo melodias de genéricos cinematográficos e de séries televisivas enquanto preparo o jantar; quero desafiar-Te em corridas pelas escadas acima até à porta de casa no último andar; quero partilhar festivais de verão completamente encharcado pela chuva e pelo tesão que nutro por Ti; quero ler-Te Keats às quatro da manhã; quero partilhar conTigo a dimensão sensorial de um quarto imerso na escuridão; quero dissipar a opressão do quotidiano com as minhas mãos nas Tuas ancas; quero “lutar” conTigo pelo espelho do quarto-de-banho; quero que me distraias durante um jogo do Benfica, ajoelhada à minha frente; quero esperar pelo momento em que chegas, depois de mim, a casa; quero acordar ao Teu lado; quero fazer-Te sonhar; quero fazer-Te vibrar; quero fazer-Te vir, quero fazer-Te ficar.
    Quero fazer-Te ficar.

    <http://suspiros-de-libido.blogspot.pt/2016/10/a-pressa-da-certeza

    Não sei, não sei quando é que o Pai Natal se lembra de mim! :) Foi o que pensei agora. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo tem o seu tempo. Oxalá, ele te visite ;)

      Eliminar
  10. O tempo é só mais uma ilusão!
    Obrigada. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeitosamente, discordo em absoluto!

      Felizmente, o tempo é algo deveras concreto, real e inexorável.

      :)

      Eliminar
  11. Se todos pensássemos da mesma forma ... seria deveras aborrecido! :)

    Bom domingo, Eros! Beijos, os que quiser.
    Hoje estou ... uma mãos largas. :))

    ResponderEliminar