quinta-feira, 20 de julho de 2017

Escrevo-Te um Beijo



Os céus batalham
Com lençóis de orvalho
E escoam nuvens
Que expiram em uníssono:
Lava o pólen das tuas mãos!
A brisa copula com a noite
Que por sua vez destila
Fluídos lustrosos
Entre as suas coxas.
Dou uma trinca
Em luas regadas de mel
E a ferida sara
Instantaneamente.
Os céus despem-se…
Mostram um corpo sardento
De constelações ardentes.
Por fim, um corvo assoma
Num voo rasante
Com asas embaladas em fumo…
E observo como se afasta
Com um suspiro entrecortado
De Libido.

4 comentários:

  1. Não sei dizer-te de outra maneira, com linguagem mais rebuscada, o quanto é bonito o que escreveste.
    Beijo, Eros.

    ResponderEliminar
  2. Sim, é um beijo e um beijo demorado.

    Belíssimo poema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqueles que leva tanto tempo quanto o tempo tem.

      Beijos

      Eliminar